Avanços no tratamento de água de resfriamento sustentável e de alto desempenho

Avanços no tratamento de água de resfriamento sustentável e de alto desempenho

Uma breve recapitulação dos inibidores de corrosão de água de resfriamento

anos 1970: Cromato

  • Inibidor de corrosão eficaz, não poluente
  • Proibido mundialmente devido aos efeitos adversos à saúde

anos 1980 a 1990: Fosfato e zinco

  • Menos eficaz na inibição de corrosão que o cromato
  • Difícil de controlar

anos 2000: O zinco tem sérias restrições devido à sua toxicidade aquática. O zinco está nas listas de poluentes prioritários e de poluentes tóxicos da EPA.

anos 2010: Surgem restrições à descarga de fosfato, em resposta à sua contribuição para a degradação de corpos d’água. A descarga de fosfato pode levar a:

  • Crescimento de algas
  • Contaminação de água potável com microcistinas e THMs
  • Eutrofização (acúmulo de sedimentos; alterações na fauna e na flora)
  • Mortandade de peixes
  • Pouco oxigênio dissolvido, causando “zonas mortas” hipóxicas

Os programas de tratamento de resfriamento com fosfato e zinco têm muitas outras desvantagens:

  • Exigem controle preciso, balanceamento de fosfato, zinco, cálcio, pH, temperatura e polímero
  • Eficazes contra a corrosão do aço, mas não protegem alumínio, cobre ou aço inoxidável
  • Precipitados com ferro e alumínio

O tratamento de torre de resfriamento eficaz sem zinco ou fosfato não era uma opção prática até agora.

Apresentando o FlexPro® CL

Inibidor de corrosão flexível

Liga-se diretamente ao metal para formar uma superfície passiva

  • Trata o metal, não a água
  • Não depende de cálcio
  • Não poluente
  • A alimentação excessiva não causa incrustação na superfície

O filme inibidor que ele forma é mais persistente que uma camada de barreira de fosfato

  • Resiste à corrosão durante excursões e esperas de baixo pH
  • Eficaz para aço, aço inoxidável, alumínio e cobre

Sem fósforo e sem zinco

Assista ao nosso vídeo da comparação, no transcurso de quatro dias, entre um inibidor de corrosão à base de fosfato e o programa FlexPro® CL:


Estudo de caso: Tanque de água bruta

Uma planta industrial do sudeste dos Estados Unidos tem um tanque onde parte de sua água tratada é recirculada. Quando a planta usava tratamento com polifosfato, o desenvolvimento de algas causava o esverdeamento da água do tanque. Com a eliminação do fosfato, o uso de hipoclorito foi reduzido em 70%, e a água do tanque ficou limpa.

Verão de 2014: Tanque durante o tratamento com polifosfato
Verão de 2017: Depois de mudar para o tratamento sem fósforo e sem zinco com FlexPro® CL

Os resultados são apenas exemplos. Não são garantidos. Os resultados reais podem variar.

Outros exemplos da inibição de corrosão superior do FlexPro®

Redução de taxa de corrosão em uma usina siderúrgica antes e depois da implementação do FlexPro®

Os resultados são apenas exemplos. Não são garantidos. Os resultados reais podem variar.

Proteção contra trincas de corrosão por esforço do aço inoxidável

Não tratado
FlexPro®
  • 304 amostras de tiras de aço inoxidável em forma de U submetidas a esforço
  • Água de torneira + 1.000 ppm de cloreto de Richmond, Virgínia
  • Temperatura de 105 ºC sob pressão do ar
  • Duração de 15 dias

Os resultados são apenas exemplos. Não são garantidos. Os resultados reais podem variar.

Resultados de cupom de corrosão

Cupom de corrosão durante o programa com pouco fósforo
Cupom de corrosão durante o programa sem fósforo com FlexPro®

Os resultados são apenas exemplos. Não são garantidos. Os resultados reais podem variar.

Clique aqui para saber mais.

Entre em contato com a ChemTreat para obter assistência no desenvolvimento de um programa de tratamento sob medida para sua aplicação. Como todas as outras tecnologias, uma investigação prévia é necessária para determinar a viabilidade de utilização dos métodos. Sempre consulte os manuais e guias dos seus equipamentos.